sábado, 3 de dezembro de 2011

Metrô à meia noite

Demorei pra fazer outro texto povo...mas saiu mais um hahaha.
Acho que a briza de pegar o metro bem tarde e ficar esperando ele um tempão ajuda a mente a viajar.
Vamos lá....ah...vc ja leu "O último trem"?

ok...vamos ao



Metrô da meia noite

De pé com o olhar vazio, olhando para o nada, impossível saber o que o rapaz está pensando... segurando a alça de sua mochila pesada em suas costas, está perdido novamente em alguma outra realidade.
Olhando para o chão da plataforma central daquela estação de metrô, sua mente vaga sem ânimo, está faltando alguma coisa...
Ele sabe que o metrô não é um lugar seguro para se deixar tão vulnerável desta maneira, e também tem consciência de que tudo que a TV disse sobre o massacre no metro daquela outra vez foi tudo uma farça. Não houve descarrilamento nenhum, algo de muito suspeito e sobrenatural aconteceu...
Ele tinha que encontrar aquela garotinha e seu protetor rápido, talvez eles pudessem ajudar...
Mas nesse momento, o rapaz só pensava naquela pessoa.
Seu coração levava sua mente para léguas de distância, através das florestas, rios, as mais altas montanhas cobertas de neve, ao lado do mar...
Ele sabia que tinha que se concentrar enquanto estivesse no metrô, não poderia deixar que o encontrassem, tinha em mente que eles sentem a presença de pessoas como ele...e haviam mesmo tantas pessoas como ele?
Mas sua mente o pregou uma peça...
Seus olhos vidrados olhando para o chão não percebem que o chão se move como uma rápida onda, distorcendo a realidade e abrindo assim novamente a passagem...
Seus olhos baixam um pouco mais, sua cabeça pende para frente como se estivesse com sono, ele ja estava fraco demais para despertar, eles já o dominavam...
Ninguém podia notar mas aquelas mãos negras e esqueléticas saindo da escuridão dos trilhos debaixo da plataforma, arrastando consigo seus grandes corpos escuros. Os olhos vermelhos sedentos de sangue brilhavam na escuridão almejando mais poder.
Vários deles já estavam a espreita arranhando os trilhos com suas garras negras manchadas de sangue...Queriam se vingar pela ultima caça...
O corpo do rapaz balançava para trás e par frente sendo disputado pelas criaturas que se escondiam abaixo da plataforma e nas sombras atrás das lâmpadas.
Mesmo estando tão vulnerável, alguma parte de sua consciência sabia do perigo.
Não ouvia mais as pessoas ao redor. Algo em sua mente nota que do outro lado da estação as coisas estavam começando a ficar um pouco mais lentas, as pessoas pareciam andar em camêra lenta e então desesperadamente tenta chamar a consciência de volta e se prender a algo na realidade novamente e afastasse as criaturas dali.
Já podia sentir a respiração daqueles seres quando ao longe consegue captar um agudo assovio, e no fundo do túnel uma fraca luz brilha.
As criaturas da escuridão notam que a mente do rapaz fica cada vez mais forte e está voltando a si, praguejando se arrastam de volta para as sombras.
O metro já está entrando na estação quando o rapaz volta a si, seus olhos ardem e pisca apertando os olhos para voltarem ao normal, de relance ao abrir vê pontos vermelhos abaixo da plataforma que somem em um segundo, mas o trem passa e impede que olhe de novo para verificar o que era.
"Vacilou e quase foi pego seu idiota!"
Sua consciência está de volta, mas seu coração não está mais com ele.
Precisa encontrar logo o que lhe completa para que possa seguir a jornada...





Ok essa ta mais suave que o Último trem....mas vamos ver onde isso vai parar. Érika o caderno que vc me deu de aniversário ta sendo muito útil, muito obrigado!!

sábado, 29 de outubro de 2011

Coletivos....


Tanta gente ao redor, e ainda assim, sozinho.

O ônibus, o metro, lotados ou somente um pouco cheios...ainda assim as pessoas não se olham, não se comunicam, esse é o perfil da tal sociedade pós-moderna?
A solidão, a depressão, os males do século, é o que dizem não é?
Completamente estranhos uns aos outros, nem seque
r um sorriso amigo ou amistoso que seja, nem um simples bom dia se ouve, e coitado de quem ousar dizer! Será um bicho estranh
o, uma aberração no meio do isolamento c
oletivo.
No metrô, é só olhar ao redor, você é capaz de contar quantas pessoas estão com seus fones de ouvido?
Elas estão se isolando em seu mundo particular com seus pensamentos, ideologias e preconceitos.
A música, ah, a música...É difícil saber o que se passa pela cabeça vedada pelos fones.
Nós olhamos para o rosto de uma dessas pessoas e, tenta imaginas... Ela está fugindo dos problemas? Tentando esquecer de mais este duro dia de trabalho em sua música tranquilizante? Está se recordando de algum bom (ou mau) momento que aquela canção marcou? Ou realmente ela não quer se misturar com toda aquela gente estranha que a cerca?
Se isolar...pra quê?

Se afastar, esconder as angústias, os problemas....esconder quem você é! Afinal, o julgamento das outras pessoas é muito importante, ser feliz não importa, o importante é ser o que os outros querem que você seja...
Isolamento...Não é tão difícil sair para dar um passeio sozinho e ficar sem falar mais que 20 palavras. Ninguém vai se importar. Exceto quand
o por algum milagre, no metro, no ônibus, no ponto de ônibus, duas almas se cruzam e, por algum acontecimento, algum fato sem importância alguma gera um comentário, e por um segundo milagre, um diálogo que pode durar até o próximo ponto, ou somente dois minutos.
No ônibus então, vê-se uma cena engraçada...O olhar de duas pessoas se cruzam, depois de um longo tempo de dúvidas e silêncio:
garoto 1: Você não é irmão de fulana?
garoto 2: sssim....
garoto 1: Você é o ciclano né?
garoto 2: Sim!! Cara eu te conheço mas não sei de onde! (risadas)
garoto 1: De tal lugar poxa!! (mais risadas)
garoto 2: Nossa! Verdade! nossa como você mudou!

Pronto...uma amizade resgatada, um longo
momento de outro repetitivo isolamento coletivo quebrado...

Qual o problema em se dizer "Bom dia"? Quando dizemos as pessoas até se assustam...

E novamente....
Ônibus cheio, o vazio é notado facilmente em cada face que distraidamente...olha as luzes passando do lado de fora...


quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Desculpas e mais desculpas...

Olá aos raros visitantes do meu modesto blog de pensamentos e brisas e textos e contos...

Faz tempo que eu não venho postar nada aqui...é que as coisas andam apertando de tal maneira rsrs
Não tava acostumado com isso, mas a faculdade ta exigindo bastante e o emprego tbm...qd chego em ksa o máximo que faço é comer tomar banho e dormir rsrsrrsrs...
Tantos trabalhos, tantas confusões, quantas pedras no caminho...mas tudo vale a pena no final.
Vejamos...3 trabalhos sendo 2 deles enormes, o emprego com alguns clientes que pelamor....os legais tão em falta, esse estresse que ta vindo pra arrebentar \o/
Mas essa é a vida. Não to reclamando, ta até divertido...........ok ok poderia estar mais divertido, mas tudo é aprendizado..ano que vem vou conseguir fazer os trabalhos na época certa e não vou deixar tudo pra cima da hora (mentira falo isso desde a época do curso técnico em design gráfico)...

AAhhhh fiquei mt puto essa semana tbm \"

Se alguém leu com certeza lembra, o texto que eu fiz aqui, das borboletas... http://graphicviolin.blogspot.com/2009/08/projeto-novolivroespero-retorno-das.html
então..esse era o primeiro capítulo do livro que eu to tentando escrever, não tem nome ainda mas tem algumas varias paginas ja...e essa semana me dei conta que perdi os manuscritos do ultimo capítulo \" e eu tava digitando ainda....puta merda...

agora é tentar lembrar como eu tinha escrito....

abraços queridos amigos que ainda leem...e as pessoas que eu n conheço que tbm leem....

caramba como assim 23 visitas da Rússia nessa semana? 1 do Cingapura e 1 o Brasil tbm? ¬¬


TEEEEEEEEEENSO hahahahah

até mais povo..prometo fazer um texto decente da próxima...


pronto..poeira espanada do blog ^^

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Mais lembranças...


Hoje na hora do almoço, saí para ir comprar algo na doceria mais próxima...algo pra mastigar e me deixar acordado depois do almoço.
Foi quando eu senti um cheiro que me lembrou a época do natal...me veio à cabeça, viagem pra casa dos meus avós...familia reunida...e aque
la coisa de dar presente pra todo mundo...
Quando eu olho para o lado, estou na frente de uma loja de R$ 1,99.....
Será que o cheiro do natal...é de bugingangas? De lembrancinhas feitas de plástico e afins?...
Em que foi que o natal se tornou?

\"

Foto da 25 de Março, centro de São Paulo....foto do google manoo!

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Lembranças...



O dia hoje amanheceu meio quente, mas com o passar das horas ele foi esfriando...esfriando, o céu se encheu de nuvens o sol sumiu e até garoou...
Os clientes aqui da gráfica ficaram com medo da chuva e deram um tempo pra gente descansar um pouquinho...
Fui até a janela, respirei fundo aquele delicioso cheirinho de chuva....e me veio uma nostalgia...

Saudades dos tempos de criança, que ficava correndo pela rua, brincando com os vizinhos...nas férias da escola, quando não tínhamos nada pra fazer...p
reocupações = 0!
Ficar brincando o dia todo e quando sentia-mos o cheiro de chuva e estava fazendo um baita sol, era uma delícia tomar um banho de chuva pra refrescar...



Nossa...era realmente divertido aquela época...brincar de esconde-esconde na rua inteira e se esconder em todas as casas em construção pela rua toda, acho que sei a planta de metade das casas da minha rua ahahahaha!!


Agora....tomar banho de chuva faz mal, não da
mais tempo de sair na rua por causa dos afazeres, os amigos... mesmo morando na mesma rua se distanciaram de tal maneira, ok a amizade continua mas como estudei longe, meu circulo social está em outro lugar.
Quantas preocupações!! Dinheiro, problemas com a familia, faculdade, trabalho, vida pessoal!!
As vezes precisamos de um tempo só pra nós...Ficar
um pouco sozinho de vez em quando, poder olhar pela janela...ou então estar na paisagem que você veria através dela... mas sair! Sair dessa vida doida e experimentar novas sensações, nada de ficar preso à mesma rotina, mesmo que por pouco tempo...o tempo de umas FÉRIAS ja estaria muito bom...eu acho, depois de 3 anos sem saber o que é isto não sei de mais nada.
Mal posso esperar por Janeiro!!
Essa viagem tem que sair...se não sair...acho que surto!!!

Ah...foi só pra falar dos tempos de criança...to
no trampo ai complica neh...afinal..esse lugar mata nossa criatividade ¬¬
(as fotos são da vista da janela do meu serviço...Vista de Guarulhos e ao fundo Zona Leste de São Paulo)


quarta-feira, 27 de julho de 2011

APAIXONEI-ME!

Eu gostei tanto que precisava criar um post só pra ele...

Eu certa vez andando na livraria cultura peguei um cd de musica eletronica asiatica pra ouvir...
E tinha uma de um tal Ananda Shankar...indiano...que amei logo de cara a música!

A música era essa......

Streets of Calcutta
Enjoy!
http://www.youtube.com/watch?v=zpJK6TQi-70


Daí hoje, um amigo meu postou no Facebook uma banda de Rock indiana também, muito boa por sinal, mas infelizmente eles cantam em ingles...não deixa de ser bom mas ficaria mais interessante na sua lingua natal.

Parikrama
Enjoy too
http://www.youtube.com/watch?v=ORl07CZHwJo

Dai falei hmmmm vou mostrar aquela música do Ananda Shankar pro Eder (meu amigo da faculdade).....mandei pra ele e fui ouvir também.
Então pensei em procurar algo mais do Ananda Shankar.....e me deparei com essa versão que ele fez de uma música MUITO conhecida por todos...

Ananda Shankar - Light my Fire
http://www.youtube.com/watch?v=JpW8643S7Wk&NR=1&feature=fvwp


Fiquei estasiado.....é uma sensação completamente nova para uma música que ja conhecemos muito bem! É a mesma música e ao mesmo tempo não é...
Não vou falar mais, porque a música está na minha alma....deixo para que vocês ouçam...e sintam por si mesmos as próprias sensações....

Espero que gostem...

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Olhando ao redor...


O mais legal de se pegar o metro agora, é parar em uma das estações onde foram colocados pianos...O metrô Sé, Santana, Tamanduateí, Luz, largo Treze...
Da um ar completamente novo, e mais agradável.
Em meio à toda correria de São Paulo, muita gente para durante algum tempo para admirar aqueles que se atrevem a sentar no banquinho e "mostrar o seu talento" como diz a placa.
Eu? Não sei tocar piano, então somente admiro quem sabe, e como bom designer 9ok nem tão bom assim), observo e estudo tudo ao redor...
Enquanto o piano adoça o ar com seu som, sem se importar em quem está sentado diante dele, as pessoas passam. Algumas passam e nem notam a presença daquele instrumento de madeira em um canto da estação... Suas cabeças estão muito cheias com certeza.
mas algumas magicamente atraídas pelo estranho suave som sufocado pelo barulho incessante do metrô.
Olhares curiosos, admirados ou de estranhesa surgem em meio a multidão.
Pouco a pouco, algumas pessoas vão parando ao redor do desconhecido pianista. Minutos se vão....certa vez eu mesmo me perdi no tempo da música por mais de uma hora e meia...
Enquanto escrevo, estou ao lado de um piano, uma senhora para e puxa assunto co mo rapaz que toca, ela tem um grosso livro em suas mãos, e mostra ao rapaz, é um livro estrangeiro de partituras...
Isso é incrível! As pessoas se aproximando pela música em um lugar tão inesperado!
As crianças, mordendo os dedos olham curiosas, umas brigam com os pais para chegar mais perto, soltam de suas mãos e correm até o piano. Outras conseguem atrair a atenção dos pais para o "estranho" objeto no metrô e aproximam-se todos juntos.
Os olhos das pessoas se perdem na admiração do objeto mágico e na agilidade dos jovens dedos que passeiam pelas teclas, ou dos calejados dedos de um senhor de idade que toca lentamente "Asa Branca" (este senhor, o primeiro que vi hoje) e se acanha sob os tantos olhares curiosos.
Algumas pessoas fotografam o músico, outras param, escutam alguns minutos e vão....Você, talvez, nunca mais verá essas pessoas, mas a música acaba de cruzar suas vidas.
Breves comentários de admiração surge entre os desconhecidos. As pessoas se vão.
Certamente alguma criança se apaixonou perdidamente pelo instrumento, outras pessoas somente pararam para ouvir o som, o mais importante é que as pessoas se aproximaram e pararam alguns minutos a correria do dia-a-dia para se ligar a um pequeno detalhe em meio a grandiosidade da estação Sé.
Daí para lá, não sei mais. A carolzinha chegou, nos abraçamos e saímos da estação deixando o piano, o pianista, e seu público para tráz...
A exposição do Escher ali perto estava magnífica!

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Ela

Mais uma vez naquele metrô, o tédio e o desanimo em sua vida ultimamente só vinha aumentando...
Seus olhos, mais fundos impossível, as olheras suas companheiras, agora faziam parte de sua face.
As pessoas que antes não viam ninguém, agora ja podiam ver em seus olhos que havia algo de errado com aquele rapaz... mas só agora?
Em algum canto do metrô sempre havia alguém olhando para ele, e comentando algo.
Os papéis se inverteram, antes era ele que observava tudo atentamente, estudava, analisava, mas algo aconteceu, as coisas não pareciam mais tão interessantes como antes.
Com seus braços sobre a mochila, abraçando-a como se protegesse algo precioso, estava sentado de frente para a janela do outro lado, ouvindo sua música no fone de ouvido, e o olhar perdido em algum lugar no infinito à sua frente.
O túnel do metrô, que antes poderia estar escondendo seres fantásticos, agora era só uma parede cinza e suja, feita de cimento, onde vez ou outra se podia ver uma lâmpada ou outra.No que o garoto estava pensando? Que músicas ouvia? O quão longe estavam seus pensamentos e por onde passeavam? O que sugou sua essência desta maneira?
O primeiro vagão sai do túnel, haveria alguma luz? Não é este o ditado popular? "Há sempre uma luz no fim do túnel?".
É hora do segundo vagão sair de sua toca...Não tem nada lá...Neste horário nem o sol está presente mais.
Terceiro vagão...A música acabou, o garoto tira o MP3 do bolso... O trem está completamente fora do túnel e está parando.O rapaz passeia com os dedos sobre os botões do MP3, outra música, outra, a próxima... para...Algo volta à sua memória. O MP3 volta para o bolso, e seus olhos lentamente para a janela.
Sua surpresa é enorme ao avistar aquela garota. Na plataforma, do outro lado da estação, estava ela, de cabelos lisos e pretos olhano diretamente nos olhos do rapaz. Linda, estava linda!
Com seus braços para traz e usando um grande vestido preto com babados e rendinhas, uma graça de sapatilhas pretas esfregando o chão com a ponta de um dos pés.Um leve sorriso enfeitava seus lábios rosados, que contrastavam um pouco com sua pele clara.
Devagar ela solta os braços, a feição do rapaz muda, um olhar com um toque de desespero e angústia surge. As mãos da menina agora juntas na frente do corpo quase somem em meio à tantos babados e rendas.
Ele tenta falar algo...Rapidamente ela leva o indicador aos lábios..."Shhh" ele ouve em sua alma. Ela balança suavemente a cabeça sabendo o que ele ia dizer, seus cabelos balançam graciosamente.
As portas do metrô se fecham. Ela lança um beijo, sorri, acena um leve adeus, se vira, e corre...

O garoto com um nó na garganta tenta impedir, mas ela some em meio à multidão.

Ele fecha os olhos, encosta no banco e pensa...respira fundo, olha pela janela e ve a cidade la fora...Algo mudou em seu olhar, um esboço de sorriso surge, havia desaprendido, e um brilho em seu olhar reaparece...

Próxima estação...

domingo, 6 de março de 2011

Pés na Estrada

Junte as coisas essenciais para você, escolha uma boa mochila que te aguente onde você for, enfie tudo dentro dela, aquelas roupas que você gosta e que acha confortável e ajeite dentro de sua nova companheira.



Comida? Barras de cereais, pacotes de biscoito, frutas, miojo...o que der para se manter por uns tempos.



E para beber? Suco, água, o que te hidratar e faça bem para a sua saúde, guarde a garrafa, você pode reabastece-la mais tarde...



Leve dinheiro, dependendo da jornada, ele pode acabar, mas espero que já saiba se virar até la, se não, pense mais um pouco. Ou então, aproveite a aventura e descubra como se virar na própria viagem.



Ponha na mochila também um baralho, não ele não é só para ser jogado com mais de duas pessoas! Certamente ja jogou paciência no computador certo? Tnte com cartas de verdade também. Paciência nunca é demais e precisamos sempre ter alguma de sobra. E se encontrar alguém no caminho, você pode jogar algo se quiser, e também, aprender ou ensinar um jogo novo.



E não se esqueça de colocar ao alcanse das mãos uma câmera, você não vai querer perder aquela foto, ou então deixar gravada aquela imagem, ou registra uma boa amizade que pode vir a conhecer.



E por último um lápis e um pequeno caderno para também deixar registrado com palavras suas experiências.



Agora, pés na estrada! Abra seus horizontes, para onde? Siga "o rumo do nariz", e vá... conheça novas pessoas, faça novas amizades, mesmo que na viagem, só se vejam durante um dia, ou algumas horas, nesse pouco tempo ela pode te ensinar muito e vice versa.



Troque experiências, informações, fale sobre sua clutura e aprenda a dela!



Observe! Olhe atentamente tudo à sua volta, veja a paisagem, grave-a em sua mente! Ouça a música do lugar, sem preconceitos, aliás esqueça que esta palavra existe! Ouça a música, sinta sua essência, feche os olhos e deixe que ela te leve... dance como preferir, não sinta vergonha, seja você, seja livre! Dance como nunca...



Observe as pessoas, veja como elas agem, como se comportam, como se vestem, como falam, como danção.



Sorria, diga bom dia, esqueça o estres, seja agradável!



Aumente seu repertório, aprenda a viver..."Quem não sabe viver, não deixa os outros viver."



E se alguém fizer alguma diferença na sua vida, for importante de alguma maneira, não exite em dizer isto à ela, e quando achar que deve, de um abraço em alguém.



Faça a viagem valer a pena!



E quando voltar, abrace seus entes queridos, seus amigos, diga que os ama pois com certeza nunca disse isso a uma dessas pessoas.



E descanse, durma, ajeite as idéias, e se prepare para um novo dia, e se você realmente aprendeu algo com isso tudo, uma nova vida também.










segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Post pro blog não criar traças...

Tenh omuito medo do Gackt...
mas ele canta bem pouxa...
essa daqui eu não conhecia. pra falar a verdade eu só conhecia Mizérable dele...

to tentando achar mais alguma outra banda de J rock que preste. conhecia algumas.
Asian Kung Fu Generation é a minha preferida.
Tem a Yui que canta Again, Che.r.ry (acho que e assmi que escreve....)
eu conhecia X Japan....só gosto da Rusty Nail...baixei um CD deles e n curti.
dentre outras saca...
agora vi esse clipre do Gackt e curti...vo baixar um cd dele
(ta ta eu sei...YUI é J POP ¬¬ dane-se.. . auhsauhsasuhuha...)




Espero n me decepcionar \"


ai vai o clipe que vi dele hoje...(e esse cabelo de gocku dele ai? O.õ )


video



TURRI NÃO ME VENHA INDICAR AN CAFFE... ¬¬ isso é mt podre rapaz! rsrsrs eu não gostei nada nada xD